• Redação

Com a vacina de Oxford, Itaboraí inicia imunização de profissionais da Atenção Básica

Município recebeu 2.080 doses da vacina fabricada pelo laboratório AstraZeneca

Prefeitura deu inicio a imunização com a vacina de Oxford. Foto: Divulgação

Com a chegada de 2.080 doses da vacina de Oxford, desenvolvida pelo laboratório britânico AstraZeneca, na manhã desta segunda-feira (25), a Prefeitura de Itaboraí inicia a vacinação para profissionais da Atenção Básica do município. A medida só será possível graças à logística de vacinação da primeira leva recebida, na última terça-feira (19), da CoronaVac (Instituto Butantan/Sinovac), que atendeu profissionais da linha de frente que atuam nas redes de urgência e emergência, além de idosos residentes em instituições de longa permanência.


O avanço do planejamento vai de encontro ao segundo informe técnico do Ministério da Saúde sobre o Plano Nacional de Imunização (PNI) de vacinação contra Covid-19. De acordo com a nota federal, a nova remessa poderá ser ampliada aos outros grupos ainda dentro da Fase 1, que incluem equipes de vacinação; trabalhadores dos serviços de saúde públicos, tanto da urgência quanto da atenção básica, envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados, além dos demais trabalhadores de saúde.


A rede de Atenção Básica de Itaboraí inclui profissionais que atuam nas Unidades de Saúde da Família, Unidades Básicas de Saúde e Postos de Saúde. Por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o município retirou as doses em Rio Bonito, por volta das 8h desta segunda-feira, e os imunizantes foram armazenados na Coordenação de Imunobiológicos e Rede de Frio, no Centro.


“Nesse momento a vacinação é para os profissionais da atenção básica de saúde de Itaboraí. Lembrando que não haverá vacinação nos postos de saúde para a população de Itaboraí. Assim que as doses da Oxford chegaram, foi iniciada a distribuição para as Unidades de Saúde, que também receberão os insumos necessários para a aplicação da vacina”, explicou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Renato Botticini.

É importante destacar que a pessoa que recebeu a Coronavac não pode ser imunizada pela Oxford. No início da noite do último sábado (23), o Ministério da Saúde enviou 185 mil doses da vacina de Oxford para a Coordenação Geral de Armazenagem, em Niterói. Cerca de 4,8% das doses ficaram sob a guarda do Estado, como reserva estratégica.


De acordo com a programação da SMS, a vacina produzida pelo Instituto Serum deve ser aplicada imediatamente após a distribuição, não sendo necessário guardar a metade para a segunda dose, pois o intervalo entre as doses é de até três meses. As aplicações da Oxford/AstraZeneca ocorrerão nas unidades onde os profissionais são lotados, não havendo necessidade de deslocamento para outros locais.


Já o intervalo de aplicação da CoronaVac foi fixado em 21 dias. A previsão é que a remessa da segunda dose da vacina para os municípios seja distribuída na primeira semana de fevereiro.


Vacinômetro


Segundo o levantamento da SMS, das 2.310 doses da CoronaVac recebidas na última terça-feira (19), já foram aplicadas 2.243 na cidade, sendo 177 vacinas aplicadas em idosos residentes em instituições de longa permanência e 2.066 em profissionais de Saúde.


Use #GazetaConectada

PUBLICIDADE

Stories Restaurante de Sushi - Propaganda.png