• Amanda de Oliveira

Casos de Covid em escola causam debate político em Niterói

Vereador recebeu denúncias e encaminhou ofício ao Ministério Público.


O comunicado sobre a morte de um funcionário de um colégio particular da Zona Sul de Niterói, devido a complicações da Covid-19, divulgado no último dia 4, gerou um debate político na cidade. O vereador professor Tulio (PSOL) denunciou os casos da doença na escola em questão e debateu a situação com a ex-candidata a prefeita e atual gestora educacional Juliana Benício (NOVO), por meio das redes sociais.

Vereador diz ter encontrado problemas no cumprimento dos protocolos/ Foto: Divulgação

Leia mais: Covid-19: 12% da população de Niterói concluiu vacinação com duas doses


Em carta aberta, a direção do colégio afirma que o funcionário não contraiu o vírus durante o trabalho, pois ele estaria afastado do serviço por razões médicas desde janeiro deste ano. A instituição de ensino ainda reforçou que todos casos e suspeitas de Covid-19 são informados para a Vigilância Epidemiológica, que monitora a situação.


Uma mãe de um dos alunos da escola particular em questão, que preferiu não se identificar, relatou que recebe comunicados por e-mail em relação a casos e suspeitas de infecção pelo novo coronavírus. Ela complementa também que os pais devem notificar a instituição no caso dos filhos apresentarem sintomas.


"Às vezes, nem a família tem noção, acha que é somente uma alergia, enfim… Se a escola observa, faz o encaminhamento. A escola está procurando se adaptar a esse momento. Não é um caminho fácil", explica.

Debate político


Nas redes sociais, o vereador professor Tulio (PSOL) afirmou que acionou o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), no dia 4, para intervir na situação da escola, após receber denúncias de um surto de Covid-19 no local. Segundo ele, diversos casos foram denunciados desde o início do ano, por meio de um canal próprio para as comunidades escolares.


Em suas publicações, o parlamentar explicou que fez visitas de fiscalização no colégio e relatou os problemas no cumprimento dos protocolos no ofício enviado para o MPRJ. Em seguida, ele questionou o porquê de não existirem dados relacionados infectados, grupo de risco e mesmo assim as denúncias continuarem.


Do outro lado, a ex-candidata a prefeita, Juliana Benício, se posicionou a favor da reabertura das escolas no município e, em resposta ao vereador, lamentou "que estejam usando a morte de um funcionário como palanque". Em sua publicação, ela incluiu que na vida adulta se precisa "fazer escolhas, que sempre incorrerão em riscos".


Procurado pela reportagem da Gazeta Conectada, o MPRJ informou que o caso relatado pelo parlamentar do PSOL está em análise.


Use #GazetaConectada


📌 Acompanhe a Gazeta Conectada nas redes sociais!


👉 Siga a Gazeta Conectada no Facebook

👉 Siga a Gazeta Conectada no Instagram

PUBLICIDADE

Stories Restaurante de Sushi - Propaganda.png