• Romulo Cunha

Caminhoneiros pró-Bolsonaro realizam paralisação na rodovia Niterói-Manilha

Manifestações causaram lentidão no trânsito de estradas espalhadas pelo país e impediam a passagem de outros veículos de grande porte.

Manifestação de caminhoneiros bolsonaristas bloqueou rodovias. Foto: Redes Sociais

Uma manifestação, realizada por caminhoneiros pró-governo do presidente Jair Bolsonaro e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), interrompeu e dificultou diversas rodovias do país durante a noite da última quarta-feira (8). Entre as estradas que tiveram bloqueios dos caminhoneiros estava a rodovia Niterói-Manilha (BR-101), que cruza os municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. Segundo o Ministério da Infraestrutura (MInfra), pelo segundo dia consecutivo, há registro de paralisação na manhã desta quinta-feira (9).


O MInfra, de acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), usou as redes sociais para informar que, às 17h30, foram registrados 67 ocorrências de concentração de populares e tentativas de bloqueio total ou parcial das rodovias em oito estados do Brasil. Já às 22h30, o Ministério ainda informou que o número de estados que possuíam manifestações aumentou para 16.


Em boletim atualizado às 8h desta quinta-feira (9), houve registros de pontos de concentração em rodovias federais de 15 estados. No Rio de Janeiro, manifestantes usaram a Rodovia Presidente Dutra (BR-116), altura do bairro de Seropédica e a Rodovia Washington Luís (BR-040), altura da Refinaria de Duque de Caxias (Reduc).


Segundo a Arteris Fluminense, também houve registros de pontos de concentrações na BR-101, na noite da última quarta-feira (8). De acordo com a concessionária, a faixa direita da via, no sentido Rio de Janeiro, chegou a ficar interditada em Campos dos Goytacazes. No km 297, sentido Espírito Santo, em Itaboraí, manifestantes usaram o acostamento para protestar. Também houve paralização na Niterói-Manilha.


Maricá


Apesar da previsão, a paralização ainda não chegou no município de Maricá, mas a preocupação sobre a possibilidade fez com que moradores tomassem medidas preventivas. Em busca de combustíveis, foram feitos diversos registros de filas de veículos, desde a noite da última quarta-feira (8), em postos espalhados pela cidade. Nos bairros do Flamengo, Itapeba, São José do Imbassaí e em Inoã, o trânsito na região ficou intenso por conta dos motoristas.


Os consumidores temem que a manifestação dos caminhoneiros gere um atraso de cargas e abastecimento de estabelecimentos. A expectativa, segundo os caminhoneiros, é de que a paralisação seja geral, com bloqueios a todos os tipos de veículos (com excessão aos serviços essenciais), e que chegue também a cidade de Maricá.

Motoristas estão preocupados com a possibilidade da manifestação em Maricá. Foto: Reprodução/Maricá Info

Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística repudia atos


As manifestações de caminhoneiros bolsonaristas não contou com apoio de sindicatos e federações da categoria. A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logísitica), por meio de uma nota assinada pelo presidente Francisco Pelúcio, repudiou os atos dos caminhoneiros.


De acordo com a nota, a NTC se preocupa com os danos que o bloqueio de rodovias poderá causar às atividades de transporte de empresas, causando graves consequências para o abastecimento de estabelecimentos de produção e comércio. Segundo o órgão, a paralização atinge diretamente o consumidor final, interrompendo a chegada de produtos de primeira necessidade à população.


* Confira nota completa ao final da reportagem


Bolsonaro pede para caminhoneiros liberarem estradas


Em áudio vazado nas redes sociais e confirmado como sendo do presidente Jair Bolsonaro aos grupos de caminhoneiros que estavam realizando paralizações em rodovias do país, Bolsonaro pede para que as estradas sejam liberadas. Segundo o presidente, os bloqueios atrapalham a economia do país.


"Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres. Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu", falou o presidente no áudio.

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, confirmou a veracidade do áudio do presidente Jair Bolsonaro. Segundo o ministro, a paralização prejudicar a população e impactar os mais pobres. Em vídeo publicado nas redes sociais, Tarcísio comentou que a manifestação seria em busca da melhoria do país, mas ressaltou que "a gente não pode tentar resolver um problema criando outro. E, principalmente, prejudicando os mais vulneráveis."



Nota completa da NTC&Logística sobre a paralização:


"A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística – NTC&Logística, vem manifestar total repúdio às paralisações organizadas por caminhoneiros autônomos com bloqueio do tráfego em diversas rodovias do País, por influência de supostos líderes da categoria. Trata-se de movimento de natureza política e dissociado até mesmo das bandeiras e reivindicações da própria categoria, tanto que não tem o apoio da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos.

Preocupa a NTC o bloqueio nas rodovias o que poderá causar sérios transtornos à atividade de transporte realizada pelas empresas, com graves consequências para o abastecimento de estabelecimentos de produção e comércio, atingindo diretamente o consumidor final, de produtos de todas as naturezas inclusive os de primeira necessidade da população como alimentos, medicamentos, combustíveis etc.

Esperamos que as autoridades do Governo Federal e dos Governos Estaduais adotem as providências indispensáveis para assegurar às empresas de transporte rodoviário de cargas o pleno exercício do seu direito de ir e vir e de livre circulação nas rodovias em todo o território nacional, como pressuposto indeclinável para o cumprimento da atividade essencial de transporte.

As empresas de transporte rodoviário de cargas, desde que garantido o livre trânsito dos seus veículos, terão condições de assegurar a continuidade do normal abastecimento em toda a cadeia de produção e consumo para a tranquilidade de todos.

A NTC deixa claro que não apoia esse movimento, repudiando-o, orientando as empresas de transporte a seguirem em sua atividade e orientando os seus motoristas para em caso de bloqueio ao trânsito dos seus veículos acionarem imediatamente a autoridade policial solicitando sua liberação."

Use #GazetaConectada


📌 Acompanhe a Gazeta Conectada nas redes sociais!


👉 Siga a Gazeta Conectada no Facebook

👉 Siga a Gazeta Conectada no Instagram

PUBLICIDADE

Stories Restaurante de Sushi - Propaganda.png