• Gazeta Conectada e Agência Brasil

Bandeira tarifária 'escassez hídrica' deixa conta de luz 6,78% mais cara

Alta foi de quase 50% em relação aos R$ 9,49 pagos na bandeira tarifária vermelha 2; novo patamar deve ser mantido até abril de 2022.


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou uma nova bandeira tarifária, que vai gerar uma cobrança extra de R$14,20 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. A bandeira tarifária "escassez hídrica" entrou em vigor nesta quarta-feira (1º) e teve uma alta registrada de quase 50%, já que a anterior, bandeira vermelha patamar 2, era de R$9,49. Medida não deve afetar quem paga tarifa social.

Foto: Fernando Curty

Leia mais: Covid-19: vacinação itinerante busca imunizar quem tem dificuldade de locomoção em SG


Segundo a Aneel, o impacto final na conta de luz será de 6,78% na tarifa média dos consumidores. A previsão é que o novo sistema funcione até abril de 2022. O governo ressaltou que o motivo da mudança foi a piora na crise hídrica do Brasil, já considerada a pior em 91 anos.


Por outro lado, para incentivar a economia de energia, o governo anunciou um programa que vai dar descontos a quem conseguir reduzir o consumo. O benefício será para consumidores residenciais e pequenos negócios que economizarem de 10% a 20% do que gastam atualmente com energia. O desconto é de R$50 a cada 100 kilowatts hora reduzidos.


A medida começou a valer neste mês e deve prosseguir até dezembro, podendo ser prorrogada. Pessoas de baixa renda que aderem à tarifa social também vão poder participar do programa de incentivo à redução voluntária do consumo de energia elétrica.


O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, falou sobre o objetivo do governo. Segundo ele, o governo busca mostrar para o consumidor que a energia está mais cara efetivamente e que adotando a redução do consumo agora, a energia poderá se tornar mais barata no futuro.


O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 para sinalizar o custo de geração de energia e repassar o valor imediatamente ao consumidor. Desde junho, está funcionando no país a bandeira vermelha patamar 2.


Segundo reajuste feito em 2021


Este foi o segundo reajuste promovido pela Aneel no ano. Em junho, a agência já havia elevado a tarifa da bandeira vermelha patamar 2 de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos. A alta foi de 52%.


Na ocasião, a diretoria da agência também decidiu novos valores para as outras bandeiras. A amarela passou para R$ 1,874 a cada 100 kWh e a vermelha patamar 1, para R$ 3,971 a cada 100 kWh. A bandeira verde, que indica boas condições de geração de energia, é gratuita desde a adoção do sistema, em 2015.


Use #GazetaConectada


📌 Acompanhe a Gazeta Conectada nas redes sociais!


👉 Siga a Gazeta Conectada no Facebook

👉 Siga a Gazeta Conectada no Instagram

PUBLICIDADE

Stories Restaurante de Sushi - Propaganda.png