• Redação

Além de bombeiros, policiais também começam a receber vacinas no Rio de Janeiro

Primeiro PM a ser vacinado no Batalhão de Choque da Polícia Militar foi o subtenente Paulo José Queiroz

Foto: Carlos Magno/Divulgação

O Governo do Estado do Rio começou, nesta quarta-feira (14), a imunizar bombeiros, policiais civis (apenas no Grande Rio), militares e rodoviários federais, com a primeira dose da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.


O primeiro PM a ser vacinado no Batalhão de Choque da Polícia Militar foi o subtenente Paulo José Queiroz, de 57 anos, lotado no 9º BPM e integrando o Leblon Presente. Ele não escondeu sua gratidão e felicidade ao receber a primeira dose.


"A vacinação é um incentivo para todos nós, agentes de segurança. Trabalhamos diretamente com a população. A gente se expõe constantemente ao vírus. Somos prestadores de serviços essenciais, assim como médicos, enfermeiros e bombeiros. Hoje foi dado um passo muito importante para a nossa categoria. Convido todos os meus colegas de farda e as demais forças para fazerem parte desta campanha", ressalta o subtenente.


Porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz destacou a importância de imunizar os agentes de segurança neste momento da pandemia.


"Por meio de esforços logísticos feitos pelo Governo do Estado e pala Secretaria Estadual de Saúde, os órgãos de segurança começaram a vacinar homens e mulheres que não pararam de trabalhar um segundo durante a pandemia. Esses agentes, que estão em constante contato com o público, acabam sendo vetores de transmissão do vírus, levando a doença para suas famílias", explica Blaz, acrescentando: "Vale ressaltar que a imunização dos agentes de segurança não impacta o cronograma do Plano Nacional de Vacinação (PNI)."


Diretor da Policlínica da Polícia Civil do Estado, o perito médico-legista Roger Ancelotti também falou sobre a relevância da vacina para os agentes.


"Ainda temos policias na ativa com mais de 70 anos. Essa vacina é essencial para a corporação. Agradeço pela realização desta campanha de imunização", diz Ancelotti.


Primeiro aluno a ser vacinado no curso especial de formação de cabos do Corpo de Bombeiros, Fábio Carvalhais se disse mais tranquilo para seguir a rotina de trabalho nas ruas:


"Essa vacinação é uma conquista da tropa, de toda a corporação e, porque não dizer, de toda a população fluminense. Assim, podemos salvar vidas com segurança."


A vacinação das forças de segurança, que nesta fase inicial destina-se aos agentes com mais de 50 anos, ocorrerá exclusivamente nos batalhões da PM e em outras unidades militares para não interferir no andamento da imunização da população. A previsão é que sejam oferecidos cerca de 20 postos, que funcionarão das 9h às 16h.


Já para bombeiros, acontece em Guadalupe, no Complexo de Ensino e Instrução Coronel Sarmento, e em Campinho, onde fica a 1ª Policlínica do Corpo de Bombeiros. O planejamento das próximas semanas vai respeitar a logística de distribuição dos kits pela Secretaria de Estado de Saúde. O calendário, a relação dos beneficiados e os próximos locais de vacinação serão atualizados e divulgados no decorrer da campanha.


Use #GazetaConectada


PUBLICIDADE

Stories Restaurante de Sushi - Propaganda.png