• Amanda de Oliveira

"A gente precisa de no mínimo um corpo para se despedir", pede irmã de motoboy desaparecido

Jovem não deu mais notícias após realizar uma entrega no último domingo (31), na Morada do Sol, em Itaboraí


Familiares do motoboy Lucas Silva, de 28 anos, buscam respostas sobre o sumiço do jovem, desaparecido desde o último domingo (31). Segundo relatos, Lucas estaria trabalhando e iria realizar uma última entrega na Morada do Sol, em Itaboraí. De acordo com a família, o rapaz relatou que este seria o último destino e que logo estaria em casa, no bairro de Vista Alegre, em São Gonçalo. Depois disso, não houveram mais informações sobre o paradeiro de Lucas.


Até o momento, apenas a motocicleta que o jovem utilizava para trabalhar foi encontrada, em frente ao CIEP Miguel de Cervantes, em Manilha, a poucos quilômetros do bairro em que Lucas desapareceu. Segundo informações, o veículo localizado estava sem o baú e os retrovisores. Para ajudar nas buscas, cartazes foram divulgados nas redes sociais.

A família do rapaz mobilizou as redes sociais para ajudar nas buscas. Foto: Arquivo Pessoal

A família de Lucas Silva conta que foi feito um boletim de ocorrência, em primeiro momento na 71ª DP, em Itaboraí, e que também encaminharam o caso para a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG). Desde então, a irmã do rapaz, Francine Silva, relata que a família visitou hospitais e o Instituto Médico Legal (IML) da região, porém nenhuma nova informação foi descoberta. Ela ainda conta que, mesmo abalados, a família está empenhada nas buscas pelo rapaz.


"A gente precisa de uma resposta. Quero encontrar meu irmão. A gente precisa de no mínimo um corpo para se despedir. Isso tudo é uma crueldade enorme, não parece um assalto normal", afirma.

Francine contou que o rapaz trabalha para uma empresa que monta kits de churrasco e, segundo informações do chefe, Lucas foi realizar uma entrega no domingo por volta de 12h30, na Rua 80, no bairro Morada do Sol. De acordo com Francine, esse cliente já havia encomendado antes na empresa e poderia estar envolvido com o tráfico local.


Algumas horas depois, o chefe de Lucas teria tentado entrar em contato com ele por telefone, por estranhar a demora na volta do rapaz. Segundo Francine, o chefe relatou que o irmão dela atendeu o telefone, por volta das 14h39, e garantiu que estava tudo bem, estaria apenas aguardando o pagamento do cliente. Ela ainda relatou que esse horário ficou registrado também como sua última visualização no aplicativo de mensagens WhatsApp.


A partir desse momento, a família de Lucas não conseguiu mais entrar em contato com ele e deu início à mobilização. Eles acionaram o seguro da motocicleta do rapaz e conseguiram ver por onde ele havia passado. Nesse percurso, existiu um intervalo de tempo grande no qual a moto esteve parada, entre 14h40 e 17h, e que a família acredita que tenha acontecido um assalto ou sequestro.


Em caso de informação sobre o paradeiro de Lucas Silva, basta entrar em contato com Francine Silva, pelo número (21) 99467-4543.


Use #GazetaConectada

PUBLICIDADE

Stories Restaurante de Sushi - Propaganda.png